Cruzeiro necessita de novas técnicas
Futebol, Futebol Nacional

Necessidade de Autocrítica: Cruzeiro, apesar de viver novos tempos, precisa de uma virada em sua técnica de jogo

Pâmela Dias

Com a chegada de Ronaldo Fenômeno, os cruzeirenses se empolgam, mas o Cruzeiro necessita de novas técnicas.


A compra da Nação Azul por um nome tão renomado quanto Ronaldo Fenômeno trouxe aos fanáticos a chance de recomposição do Cruzeiro. Conforme em diversas entrevistas, o novo dono afirmou que seu maior foco consiste em voltar o time para a série A, contudo, de pouco em pouco devido aos problemas financeiros que compreende a maior problemática do clube cruzeirense atualmente.

Muitas novidades surgiram ao longo desse tempo, as maiores são a anunciação de novos parceiros de confiança, que podem gerar uma receita positiva, além da promessa feita pelo empresário Pedro Lourenço, de contratar um grupo de peso para compor o novo time, que está há três anos na série B.

Assinatura do contrato entre Cruzeiro e Ronaldo em 18/12/2021 (Foto: XP)

Saída de Vitor Roque do clube celeste

Apesar do otimismo, o clube ainda passa por crises internas que deixam ansiosos os torcedores mais apegados, como a saída “na calada da noite” de Vitor Roque. O jogador comunicou oficialmente a rescisão unilateral via e-mail, às 21h40 do dia 11 deste mês, domingo anterior à viagem para o acerto com o Athletico-PR

Essa decisão não agradou nada o gestor do grupo, Ronaldo Fenômeno, que afirmou não ter tido nenhuma insatisfação do jogador em relação ao clube: “De repente, veio a situação do Vitor Roque, que pegou a gente de surpresa. Não tinha nenhum diagnóstico do jogador, nenhuma reclamação. A gente estava discutindo renovação do contrato e, de repente, meio que na calada da noite, foi feito isso aí.” 

Por essa situação, o clube declarou suas críticas tanto aos agente do atleta, André Cury, como também ao diretor de futebol do Athletico-PR, Pedro Martins e informaram que vão retaliar a situação na justiça, com uma multa rescisória no valor de R$ 24 milhões. 

Vitor Roque era um dos principais artilheiros do time, uma grande perda para o clube celeste. (Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Jogo contra o Remo (19/04)

Após a saída de Vitor Roque, o Cruzeiro competiu a terceira fase da Copa do Brasil 2022 contra o Remo (19/04) e perdeu por 2 a 1 contra o time adversário. Sua atuação não foi das melhores devido à falta de consistência do clube durante o jogo, contudo, os erros de arbitragem, comandada por Marcelo de Lima Henrique, que definiram o placar, gerou desânimo dos torcedores, da comissão e, claro, do elenco que estava em campo. Porém, muitas sacadas passaram batidas pelos jogadores e, por isso, a necessidade de uma autocrítica de estratégia é necessária para Ronaldo Fenômeno atingir seu objetivo. 

Durante a partida, é possível observar as ausências de técnicas e lances pobres, assim como foi na atuação contra o Bahia e Brusque. Com a dificuldade de criar jogadas, novas estratégias e sair no pé a pé e os extremos nada efetivos em suas jogadas, o Cruzeiro forçou as bolas pelos lados. Apesar de fazer sentido contra o time adversário, o conhecido jogador contra o um a um, Waguinho, não se mostrou tão presente quanto devia, perdeu um pênalti e, assim como, Jajá que mais buscou pelo jogo, não conseguiu marcar no primeiro tempo. 

No segundo, o Cruzeiro, com a entrada de Pedro Castro e Daniel Junior, mostrou-se mais confiante e, com companhia, Jajá se destacou e iniciou o lance que levou Rodolfo a marcar o primeiro gol no primeiro tempo. A vibração da torcida foi breve, dado que aos 25 minutos levaram uma virada do Remo e, na virada dos 32, mais outro, marcando sua derrota.

É possível observar que o psicológico está pesado e o Cruzeiro está desorganizado em campo, principalmente no que diz às saídas de bola, posicionamentos defensivos e no acabamento de jogadas no ataque. O time não está conseguindo ser consistente em suas últimas partidas e carece de novas estratégias no campo. 

Pezzolano, técnico uruguaio do time, admite seu erro de tática e mudança de técnicas: “[…] Eu sei que hoje havia muita umidade, difícil, estava pesado o tempo para jogar, mas não tem desculpa. No segundo tempo foi possível melhorar, isso é importante. Mas, depois, é como sabemos. Quando se tem a oportunidade de gol, tem que fazer, e sofremos dois gols de bola parada, sem dúvidas, é uma coisa para melhorar. […] Esperamos ser mais efetivo na última zona do campo, quando tivermos a chance de fazer, e estar bem preparado para a transição deles. Assim que será o próximo jogo, gosto desse tipo de jogo porque vamos mostrar do que somos feitos como equipe“. 

Contudo, não podemos ser fortes com o clube que passa por um momento de transição e oscilação devido ao aumento dos jogos, a resolução de problemas financeiros e mudanças de parceiros.  

Desejamos boas vibrações ao clube celeste!

Cruzeiro necessita de novas técnicas.

Pâmela Dias

Apaixonada por futebol desde criança, hoje tenho a oportunidade de escrever sobre ele. Gosto de ver jogos em bares, usar meu boné da sorte e vibrar quando um gol é feito. Sou atleticana de coração.
Ler todas as publicações de Pâmela Dias
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments