Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (Reprodução)
Futebol, Futebol Nacional

Engenhão: em apenas um jogo, Botafogo lucra mais que 2019 inteiro e busca parceria com WTorre

Daniel Dutra
Siga-me

Desde 2018, o Botafogo vinha amargando prejuízo nas questões operacionais do Estádio Nilton Santos, o Engenhão. Foram três anos pagando para ter a torcida presente.


Com a chegada da nova diretoria e do CEO Jorge Braga, o Engenhão, estádio do Botafogo, começou a se tornar uma estrutura rentável. Na partida do acesso para a Série A, contra o Operário, o alvinegro teve o maior lucro em um jogo desde a Libertadores de 2017. O valor de pouco mais de meio milhão (R$ 580.110,83) foi maior do que toda a renda obtida no Brasileirão de 2019 por exemplo.

Para isso acontecer, o clube decidiu não abrir todos os setores sem necessidade. Ou seja, com isso, o custo de segurança, roletas e entradas diminui. Conforme a procura por ingressos aumenta, como vem acontecendo, a diretoria vai abrindo gradativamente os setores. A próxima e última partida da temporada, contra o Guarani, esgotou todos os ingressos com antecedência. Por isso, a diretoria liberou mais uma pequena carga de ingressos.

Leia mais:

Renovação e negociações

Seguindo na reformulação da operação do estádio, o clube de General Severiano negocia com a empresa WTorre para administrar o Engenhão. A empresa é responsável por gerir o Allianz Parque, estádio do Palmeiras. Além disso, firmou parceria com o Santos na construção da “Nova Vila Belmiro“.

Em paralelo, para a negociação se concretizar, o Botafogo trabalha junto à Prefeitura do Rio de Janeiro, uma extensão da concessão do Estádio Nilton Santos. Atualmente, o clube tem os direitos do estádio até o ano de 2031. Por isso, a intenção é revigorar esse contrato por mais dez anos (até 2041). Inclusive, essa negociação com a prefeitura está bem adiantada. Todavia, existe uma dívida do Botafogo com a prefeitura. Por isso, essa dívida será incluída nas tratativas da forma de pagamento.

Em 2020, houveram até discussões sobre renovar ou não a concessão. No ano pasado, o prejuízo do estádio foi de R$ 7 milhões. Mas agora, com a nova gestão, a expectativa é manter o estádio. Entre os projetos relacionados à WTorre, está a volta de shows no estádio por exemplo. Vale destacar ainda, que o Botafogo continuará tendo participação em todos os lucros da operação do estádio caso a negociação se concretize.

Daniel Dutra

Jornalista em formação e apaixonado por esportes. Juntei essas duas paixões para produzir conteúdo e valorizar a comunicação criando um portal para levar informação e gerar oportunidades.
Ler todas as publicações de Daniel Dutra
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments