Conheça Buenos Aires futebolisticamente visitando todos os estádios de bairro da capital argentina.
Capitais do Futebol, Futebol, Futebol Internacional, Séries

Capitais do Futebol: Conheça Buenos Aires, segunda cidade com mais clubes de futebol no mundo

A capital Buenos Aires é conhecida por sua rica cultura artística e dona da maior concentração de teatros do mundo, mas não respira somente os encantos da quinta arte, aliás, a paixão que vem de pendejo e que corre no sangue de cada esquina portenha, é o futebol. Por isso, é extremamente normal, viajantes do mundo inteiro passearem pelos templos do futebol portenho, fazendo um tour futebolístico por Buenos Aires.


Com incríveis 29 clubes profissionais, o Distrito Federal argentino possui o segundo índice mais alto de times em uma única cidade, isso porque estamos falando da cidade e capital do país, se fossemos nos referir à província de Buenos Aires, seriam mais de 70 clubes, englobando equipes como Racing e Independiente, que residem em Avellaneda.

Mapa dos clubes localizados na cidade de Buenos Aires
Mapa dos 18 Clubes participantes das 4 primeiras divisões da Argentina (Arte: paladarnegro.net)

*Dividida pelo espectro econômico de cada bairro, aqui estão as 21 canchas portenhas que participam de competições nacionais até a Primera C (quarta divisão):

OBS: Foram adicionados três clubes com sede na capital, mas com estádios fora da cidade.

. Club Atlético River Plate: Embora conhecido como um clube de Núñez, os Millionarios se encontram geograficamente no bairro de Belgrano. Conhecido por sua torcida como El Más Grande, o River Plate possui a segunda maior torcida do país e uma sala de troféus invejável: São 36 títulos de primeira divisão (maior vencedor), 4 Copas Libertadores, 1 Copa Sul-Americana, 1 Mundial de Clubes (Copa Intercontinental), 3 Copas da Argentina e 2 títulos de segunda divisão, sendo um deles, o amargo campeonato de 2011/12. Apesar de ser estereotipado como um clube da elite, a origem do River se dá no bairro de La Boca. O apelido Millonarios tem como seu motivo as grandes contratações desembolsadas pelo clube na década de 40.

Estádio Antonio Vespucio Liberti “Monumental de Núñez” (Foto: Monique Silva)
Bairro de Belgrano (Foto: Turismo Buenos Aires)

. Asociación Atlética Argentinos Juniors: Responsável por revelar nada mais, nada menos que Diego Armando Maradona, o Argentinos Juniors possui uma das melhores categorias de base do planeta, recebendo o apelido de Sementeira do mundo. Conhecido como El Bicho, o clube de La Paternal possui uma galeria de troféus “curta e grossa” com apenas 9 títulos, sendo destes, 4 campeonatos de segunda divisão, 1 Copa Libertadores, 3 títulos de primeira divisão e 1 Copa Interamericana. Seu maior rival é o Platense, embora antigamente ser o All Boys, e hoje em dia haver uma fortíssima rivalidade com o Vélez Sarsfield.

O estádio Diego Armando Maradona é um dos estádios mais legais para conhecer, se trata de um tour muito completo pelo clube e por La Paternal, bairro de Buenos Aires
Cancha do Argentinos Juniors (Foto: Monique Silva)
Muro de La Paternal com os dizeres: O amor de um país, orgulho de um bairro (Foto: barrabrava.net)

. Club Atlético Vélez Sarsfield: Localizado no bairro de Liniers, El Fortín se caracterizou como um dos clubes mais vencedores nos anos 90, 2000 e início de 2010, ganhando nesse período, incríveis 14 títulos dos 16 que obtém ao todo. Sendo assim, o Vélez possui como destaque em sua sala de troféus: 1 Mundial, 1 Libertadores da América e 10 Campeonatos de Primeira Divisão.

Devido ao grande número de títulos desde 1993, o Vélez recebeu o apelido de Nuevo Grande, referência de muitos argentinos ao clube de Liniers por sua majestosa sala de troféus. Além disso, seu maior rival é o Ferro Carril Oeste, mas o Fortín também possui uma forte rivalidade com o San Lorenzo e Argentinos Juniors. Curiosidade: O famoso líder político Ernesto Che Guevara jogou nas categorias de base do clube.

O líndissimo estádio José Amalfitani (Reprodução: Vélez Sarsfield)
Arte da torcida do Vélez no bairro de Liniers (Foto: Historia de Vélez)

. Club Atlético Platense: Localizado em um dos bairros de maior cultura do tango da capital portenha, El Tense é um dos clubes mais tradicionais e queridos da Argentina. A partir disso, o Calamar, assim conhecido por seus torcedores, passou 70 anos na primeira divisão, sendo o clube que mais escapou de descensos na história do futebol argentino. Contudo, após um grave período de crise, o clube se afundou nas divisões inferiores, na qual superaria após 23 anos de espera pela volta à elite argentina.

Embora seja pouco conhecido no Brasil, o ídolo máximo do bairro de Saavedra e hincha fervoroso do Platense, Roberto Polaco Goyeneche é um dos maiores expoentes da história do tango argentino. Sendo assim, sua grandeza era tão grande que, após seu falecimento, ganhou o nome de uma das tribunas do estádio Ciudad de Vicente López. Além disso, o Platense foi responsável por revelar o famoso atacante franco-argentino David Trezeguet. Por fim, seu maior rival é o Argentinos Juniors, no entanto o Tigre também se apresenta como um forte rival.

O histórico estádio do Platense deve ser figurinha carimbada no seu tour futebolístico de Buenos Aires
Estádio Ciudad de Vicente López (Foto: Platense a lo Ancho)
Assim como o estádio do Platense, o bairro de Saavedra deve ser visitado pela cultura tanguera e para seu tour futebolístico em Buenos Aires
Homenagem ao Polaco e ao seu clube de coração (Foto: Saavedra Online)

. Club Atlético Huracán: El Globo, como é conhecido na Argentina, se trata de um dos times mais tradicionais do país, obtendo uma grande torcida e um estádio espetacular. Devido ao seu grande sucesso nos anos 20 e disputas por título, o Huracán foi considerado por muito tempo, o sexto grande da Argentina. Curiosamente, após receber essa nomeação, o clube entrou em uma seca de títulos, sendo quebrada apenas em 1973.

A partir dos anos 80, o clube de Parque Patrícios enfrentou seu primeiro rebaixamento e viu os adversários aumentarem sua vantagem em títulos, causando novos debates sobre a equipe quemera ser realmente a sexta maior do país. Em consequência da grandeza e proximidade local, seu maior rival é o San Lorenzo, que juntos, fazem o maior clássico de bairro do mundo.

Ainda que não seja tão vencedor, o Huracán deve ser visitado e visto cada detalhe de seu estádio em seu tour futebolístico de Buenos Aires
Arquibancada do “Palácio Ducó” (Foto: Turismo Buenos Aires)
O lindo detalhe da bancada quemera (Foto: Turismo Buenos Aires)
A linda faixada do Estádio Tomás Adolfo Ducó (Foto: Wikiwand)

. Club Atlético San Lorenzo de Almagro: Fundado na região do bairro de Almagro, que mais tarde viria ser de Boedo, o Ciclón fez boa parte de sua história no tradicional bairro portenho, criando um enorme vínculo ao lugar e sua gente. Porém devido à dívidas no período de Ditadura Militar no país, o clube teve seu estádio confiscado, virando um grande supermercado da rede Carrefour no lugar do viejo Gasómetro.

Após a saída de Boedo, os Cuervos foram rebaixados pela primeira vez, e só voltaram a dar a volta olímpica em 1995, já hospedados em Bajo Flores. Depois de 17 anos de estabilidade no clube e de títulos, o San Lorenzo evitou um segundo descenso no playoff de rebaixamento, e surpreendentemente no ano seguinte, se sagrou campeão argentino, se classificando para a Libertadores. Nesta, o Ciclón teria o domínio da América pela primeira vez.

Posterior aos anos de negociações, o clube entrou em acordo com o Carrefour, que anunciou o fechamento de sua unidade de Boedo em Abril de 2019, gerando um grande festejo de todos os hinchas do clube. Dessa forma, no dia 1º de julho de 2019 foi inaugurada a pedra fundamental para a volta ao romântico bairro. Embora haja uma rivalidade ante os outros 4 grandes, o seu maior rival é o Huracán.

O belíssimo Nuevo Gasómetro deve ser visita certa no tour futebolístico de Buenos Aires
El Nuevo Gasómetro (Foto: Monique Silva)
Casas da localidade de Bajo Flores (Foto: Defensoria del Pueblo)

. Club Atlético Boca Juniors: “Somos la mitad más uno, somos el pueblo, el carnaval”. Assim cantam os xeneizes, donos da maior torcida do país, segundo maior campeão da Libertadores e da Argentina. Como resultado de seu sucesso, o Boca Juniors é o time mais amado e odiado do país. Assim como o seu gigantismo assusta, o clube é detentor de um dos estádios mais míticos do planeta, La Bombonera. Tal palco abriga 54 mil hinchas boquenses que fazem seus rivais enfrentarem um pesadelo durante 90 minutos.

Através disso, os xeneizes obtém a grandeza mais invejável do continente sul-americano, com uma sala de troféus que abriga nada mais, nada menos que: 34 títulos de primeira divisão, 6 títulos de Libertadores, 3 Mundiais, 2 Copas Sul-Americana e 2 Recopas Sul-Americana. Devido ao tamanho da dupla, seu grande rival é o River Plate, que juntos, fazem um dos maiores clássicos do mundo. Por fim, o Boca Juniors é o clube que mais vendeu ingressos na história do campeonato argentino.

O mágico templo de La Bombonera (Foto: Monique Silva)
Apesar de belas ruas e pontos turísticos, o bairro de La Boca é um dos lugares mais perigosos da capital argentina (Foto: Turismo Buenos Aires)

. Club Atlético Defensores de Belgrano: El Defe, assim conhecido pelos seus hinchas, não possui muitas glórias, tendo como seu maior título a Primera B Metropolitana, campeonato equivalente ao terceiro nível do futebol argentino. Apesar de não possuir grandes feitos, o Defensores possui uma torcida fiel que não abandona o Dragón e lota sua cancha de humildes 9.000 lugares. Em contrapartida aos dias atuais, os rojinegros nunca haviam subido ao segundo patamar mais alto do futebol argentino até o ano de 2001, quando venceu o Temperley na final da Primera B Metropolitana e se sagrou campeão da terceira divisão. O clube possui 2 terceiras divisão e 4 Primera C (quarta divisão). Seu maior rival é o Excursionistas.

O pequenino estádio Juan Pasquale (Foto: Ferro Carril Oeste)
“Do berço ao caixão vou te seguir” (Foto: Paredes Pintadas)

. Club Almagro: Ainda que seu estádio pertença à província de Buenos Aires, não a cidade, o Tricolor possui sua sede e é historicamente ligado ao bairro de Almagro, responsável pelo nome do clube. Apesar de passar a maioria de sua história na terceira divisão, o tricolor possui muita tradição na segunda, onde jogou apenas 16 temporadas e conquistou três acessos, sendo destes, ganhando apenas uma vez a Nacional B, curiosamente vencendo a primeira a ser disputada na história em 1937. Sendo assim, O Almagro é responsável por duas curiosidades. Primeiramente, seu hino é composto por Carlos Gardel, um dos maiores ícones da história da Argentina. Segundamente, sua torcida tem fortíssima amizade com os gremistas pela semelhança de seus uniformes. Seu maior rival é o Estudiantes de Buenos Aires.

O simples e bonito estádio 3 de Febrero (Foto: Contragolpe)
Hinchas tricolores em um grafiti do clube (Foto: Barrabrava.net)

. Club Atlético Atlanta: Proveniente do bairro judeu de Villa Crespo, os Bohemios da cancha de Don León Kolbovski carregam o orgulho de seu bairro levando o nome do clube dos judeus argentinos por todo o país. O clube obtém dois títulos de segunda divisão e também participa de um dos maiores clássicos de bairros do país, contra o Chacarita. Existem inúmeras teorias sobre o nome do clube, entretanto, a mais aceita faz referência ao navio estadunidense que havia chegado ao porto de Buenos Aires. O clube também tem fortes rivalidades com All Boys, Argentinos Juniors e Defensores de Belgrano.

O simples caldeirão do Atlanta “Estádio Don León Kolbovski” (Foto: Monique Silva)
A cancha dos Bohemios vista de fora (Foto: Monique Silva)

. Club Atlético Chacarita Juniors: Ainda que seu estádio seja fora da cidade de Buenos Aires, o Tricolor tem sua sede no bairro de Chacarita, região central de Buenos Aires. Apesar de ter pouca fama em terra tupi-guarani, os Funebreros são um dos clubes de maior tradição bairrista da capital tanguera, movendo uma torcida fanática por todo país. Embora não tenha tantos títulos, o Chaca pode se orgulhar de sua galeria de troféus: Obtendo um histórico campeonato da primeira divisão em 1969, ante o River Plate, e também uma segunda divisão 10 anos antes, superando o Quilmes. Seu maior rival é o Atlanta, que juntos, disputam o grande clássico de Villa Crespo, mas também possui uma rivalidade forte com o Tigre.

A cancha do Chacarita é parada necessária em seu tour futebolístico
Cancha do Chacarita Jrs (Foto: Pasión Gasolera)
Ver uma partida do Chaca seria uma das melhores experiências de seu tour futebolístico
“A famosa banda de San Martín” (Foto: Relatos por un ascenso)

. Club Atlético All Boys: Fundado em 1913, os Albos do bairro de Floresta não colecionam grandes títulos, apenas uma segunda divisão e quatro campeonatos de “terceirona”, mas carregam desde berço uma torcida fanática. Apesar de ter sua sede em Floresta, o Blanquinegro joga no bairro de Monte Carlo. Ainda que não possua uma grande história, o All Boys obtém uma ótima categoria de base, revelando Tévez, Calleri e Mauro Boselli, ídolo do Estudiantes. Devido à proximidade, o Albo forma uma grande rivalidade com o Nueva Chicago, que é denominada por Superclásico del Ascenso. O All Boys também possui uma forte rivalidade com o Argentinos Juniors.

O estádio do All Boys é figurinha carimbada no tour futebolístico de Buenos Aires
Estádio Islas Malvinas (Foto: Juan Lofredo)
Belíssimo muro no bairro Floresta devido o centenário do clube (Foto: Anotando Fútbol)

. Club Ferro Carril Oeste: Fundado em 1904 por funcionários da companhia Ferrocarril del Oeste de Buenos Aires, o histórico e tradicionalíssimo clube Verdolaga já foi um dos times que ano após ano, eram figurinha carimbada na primeira divisão argentina, mas depois de uma grave crise, acabou sucumbindo ao seu sexto rebaixamento (2000) e quebrou, nunca mais voltando a disputar a elite do país. Embora não dispute a primeira divisão por mais de 20 anos, o clube de Caballito ocupa a décima quarta posição na classificação histórica do futebol argentino. O Ferro Carril tem uma boa galeria de troféus, são eles: 2 títulos de primeira divisão, 4 “segundonas” e um campeonato de terceira divisão. Seu grande rival é o Vélez Sarsfield, no qual fazem o grande Clásico del Oeste, embora não seja disputado desde o ano 2000, por motivos de amargos anos do Ferro na “B”.

O Arquiteto Ricardo Etcheverry é um dos estádios mais antigos de Buenos Aires e deve aparecer no seu tour futebolístico de Buenos Aires
Arquibancadas do Estádio Arquiteto Ricardo Etcheverry (Foto: Matías de Caro)
Homenagem do bairro à Cacho, ídolo do Ferro Carril e do bairro Caballito, duas figurinhas carimbadas em seu tour futebolístico em Buenos Aires
Lindíssimo mural da torcida do Ferro no bairro de Caballito (Foto: Tercerfútbol)

. Club Atlético Nueva Chicago: Localizado no bairro de Mataderos, El Verdinegro tem uma das torcidas mais fanáticas da Argentina. Embora não possua título de elite, o Toro possui 2 campeonatos da segunda divisão, assim como na terceira. O clube recebe esse nome devido à semelhança do bairro de Mataderos com a cidade de Chicago, por ambas indústrias de carne. Seu grande rival é o All Boys, ainda que não possuam tantas glórias, juntos formam um dos maiores clássicos da capital. Além disso, o Nueva Chicago possui grandes confrontos ante o Almirante Brown, Deportivo Morón, Vélez e Chacarita.

Estádio Nueva Chicago é figurinha carimbada no tour futebolístico de Buenos Aires
Estádio Nueva Chicago (Foto: Glorioso Chicago)
“El alma de Mataderos” (Foto: Cucinare)

. Club Deportivo Riestra: Embora sua sede sendo no bairro de Nueva Pompeya, o estádio do Blanquinegro, Guillermo Laza, se encontra em Villa Soldati. O clube alvinegro possui 2 títulos de quinta divisão e, junto ao seu vizinho Sacachispas, formam o clássico de bairro conhecido como Clásico Malevo, sendo o Riestra quem mais venceu. O pequeno estádio do Blanquinegro se encontra ao lado do Nuevo Gasómetro. Curiosidade: O Deportivo Riestra ficou conhecido por ter em seu estádio, uma área torta e maior que a outra.

O pequenino estádio Guillermo Laza (Foto: Mundo Ascenso)
A miséria vivida em Barracas, periferia de Buenos Aires
Complexo habitacional em Villa Soldati, bairro de Sacachispas e Riestra (Foto: jbarbikane)

. Club Atlético Barracas Central: Localizado em um dos bairros mais obreros de Buenos Aires, o Barracas Central é conhecido como um clube do povo. Embora sua cancha seja pequena, as festas no estádio Claudio Fabián Tapia são muito bem comandadas pela Banda de Barracas, que alentam o Guapo durante 90 minutos. Ainda que não tenha muitas taças, o Barracas possui um recente campeonato da terceira divisão como seu maior título. Por consequência de proximidade, seu maior rival é o Sportivo Barracas, na qual fazem o Clásico Barraqueño. Apesar de haver jogado por 14 vezes a primeira divisão, a equipe Camionera jogou pela primeira vez a segunda divisão no ano de 2019, isso ocorre pelo time ter jogado a elite apenas na era amadora da competição.

A romântica cancha do Barracas abriga 3.000 torcedores (Foto: Ascenso Mirasol)
Embora seja um bairro pobre, existe em Barracas a linda fábrica de chocolate do bairro (Créditos: Wikiwand)

. Club Comunicaciones: Fundado no bairro de Agronomía, El Cartero jamais jogou a primeira divisão, mas ainda sim carrega consigo uma torcida apaixonada. Capaz de criar até um novo hino ao clube, sendo este secundário institucionalmente, a Barra de Agronomía faz pulsar o seu pequeno caldeirão, apoiando sempre a equipe aurinegra. Seu maior rival é o General Lamadrid. Seu apelido se deve aos fundadores do clube, que eram empregados da Compañía de Correos y Telégrafos, sendo o primeiro nome da equipe Club Atlético Correos y Telégrafos, que seria alterado apenas em 1953 para Club Comunicaciones.

A bela festa da Barra de Agronomía no estádio Alfredo Ramos (Foto: Comuna 15 Notícias)
Homenagem feita pela torcida cartera à Diego Armando Maradona (Foto: El Barrio Pueyrredón)

. Sacachispas Fútbol Club: Ainda que não possua grandes feitos, o Lila é conhecido por todo o país como o clube mais divertido da Argentina. O tradicionalíssimo Saca não possui títulos de grande expressão, apenas 3 campeonatos da quinta divisão e uma Primera C, no entanto é famoso e celebrado por todo o país por suas piadas e entradas em campo totalmente diferente de qualquer coisa já vista. O Sacachispas costuma provocar os times grandes em suas redes sociais, mas também não deixa de sobrar pro seu maior rival, o Deportivo Riestra. O clube recebeu esse nome devido ao filme de ficção Pelota de trapo. Veja abaixo as entradas de campo protagonizadas pelo clube:

Assim entrou a equipe por uma partida na Copa Argentina (Créditos: SacachispasOK)
Foto do time so Sacachispas em homenagem ao dia da independência argentina
Em homenagem ao dia da independência argentina (Créditos: SacachispasOK)
Estádio Beto Larrosa lembra o pequeno estádio do São Cristóvão (Créditos: SacachispasOK)
Hinchada Sector 29 (Créditos: SacachispasOK)

. Club Atlético Excursionistas: Ainda que localizado no bairro nobre de Belgrano, El Villero reside em uma área mais humilde da região, ganhando este apelido devido à uma antiga villa parcialmente removida durante a Copa do Mundo de 1978. Em contrapartida ao seu rival Defensores, pertencente à nobreza do bairro, formam um clássico do bairro de BelgranoO Excursionistas já foi um clube grande, dando trabalho aos grandes na década de 40, chegando a ser vice-campeão da segunda divisão para o Rosário Central. O Verde tem em sua sala de troféus apenas dois títulos: Uma terceira divisão e uma quinta divisão. O clube recebe esse nome devido um grupo de amigos que constantemente realizavam excursões. O Excursionistas jogam para uma cancha de 7.200 torcedores.

Em contrapartida ao bairro, sua pequenina casa em comparação aos prédios do bairro (Foto: Estádios de Argentina)
Ao invés de polemizar, na Argentina existem muitos protestos contra a ditadura, sendo esta arte, um deles (Foto: Excursionistas)

. Club Deportivo Español: Fundado por imigrantes espanhóis, Los Gallegos por muito tempo já estiveram entre os grandes incômodos das equipes de elite da Argentina, sendo os anos 80, período auge de sua história. Em contrapartida aos dias atuais, o Deportivo já foi muito respeitado, vencendo o campeonato da segunda divisão superando o Racing. Devido seu acesso e sucesso, El Español ficou durante 13 anos na primeira divisão do país. Ainda que tenha jogado duas vezes a Copa Conmebol, por problemas financeiros decretou falência e nunca mais voltou ao seu posto. Assim como suas raízes européias, seu maior rival é o Sportivo Italiano, que juntos, formam o derby conhecido como Clásico de las Colectividades.

Vale muito a pena conhecer o estádio do Deportivo Español, desconhecido mas com muita importância em seu tour futebolístico de Buenos Aires
Ao contrário do país europeu, o Deportivo tem uma cancha bem sul-americana (Foto: Deportivo Español)
Belíssima atração do bairro Parque Avellaneda (Créditos: Turismo Buenos Aires)

. Club Atlético General Lamadrid: Fundado em 1950, os Carceleros recebem este apelido por uma história curiosa: O torcedor mais conhecidos do “carcereiro” foi Mario El Loco Oriente, nascido em 1926, era o caçula de onze irmãos. Em 1969 foi preso por abrir uma destilaria clandestina e agredir um policial e, portanto, foi levado para a Prisão do bairro de Villa Devoto, se tornando um hincha fiel do General Lamadrid. Desde que El Loco saiu da prisão, virou sócio, e todos os dias contribuiu com seu grão de areia, pintando, trocando lâmpadas e cortando a grama do clube. A mobilização de Mario foi enorme, se tornando membro do Conselho Administrativo, compondo o hino do clube. Devido a proximidade, o maior rival do clube é o Comunicaciones.

Torcida Carcelera festejando em sua pequena cancha (Créditos: Facebook General Lamadrid)
Antiga estação de trem do bairro Villa Devoto (Créditos: Arqueologia Ferroviaria)

Tiago Emanuel

Jornalista em progressão e amante do futebol passional.
Ler todas as publicações de Tiago Emanuel
5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

1 Comentário
Most Voted
Newest Oldest
Inline Feedbacks
View all comments