Marcação mista.
Futebol

O que é Modelo de Jogo e como ele funciona na prática?

O Modelo de Jogo é um processo que todo treinador possui para alcançar bons resultados. Mas como entender o conceito de Modelo de Jogo e sua efetividade na prática?


No último mês (julho de 2020), Santos, São Paulo, Vasco e Cruzeiro sequer chegaram nas semifinais de seus respectivos campeonatos estaduais, dando lugar a clubes de menor expressão. Em alguns casos, como o Mirassol, de fato foram resultados inesperados. Entretanto, nem sempre podemos chamar a derrota de um grande time de “zebra”. Com o avanço do futebol, os treinos se tornaram cada vez mais importantes e, é nesse momento, que entra o Modelo de Jogo. Ele faz com que a distância entre uma equipe gigante e uma equipe pequena por exemplo, diminua consideravelmente a partir de treinamentos bem executados.

O Modelo de Jogo nada mais é do que a forma que uma equipe vai jogar. A princípio, você deve escolher o estilo de jogo em cada momento da partida. Uma troca de passes ou lançamentos longos? Marcação pressão ou esperar o adversário? 4-3-3 ou 3-4-3? Enfim, tudo que corresponda ao jogo. Para Rodrigo Leitão, técnico de futebol, Modelo de Jogo pode ser definido como:

“O norte que permite a todos os jogadores de uma equipe terem a mesma leitura do jogo de forma organizada em todos os momentos.”

Quais sãos esses momentos do jogo que precisam ser trabalhados?

Momentos do Jogo.

Para entender os conceitos básicos de um Modelo de Jogo, precisamos lembrar dos momentos do jogo, já citados em outras matérias. Explicando de uma forma a entender o papel deles no Modelo de Jogo, devemos pensar em:

  1. Organização defensiva: quando a equipe está estruturada para defender-se da melhor maneira. Ou seja, ela está preparada para trabalhar em linha, pressionar, direcionar o adversário para algum ponto ou o que quer que tenha sido trabalhado no Modelo de Jogo;
  2. Transição ofensiva: esse é o momento em que a equipe recupera a bola e dá início ao ataque. Contudo, ela ainda não está organizada para atacar, logo, a principal função é tirar a bola da zona de pressão para chegar na próxima fase;
  3. Organização ofensiva: aqui sim o ataque está organizado. É nesse momento que a equipe aumenta o espaço efetivo de jogo e tenta chegar ao gol adversário com passes, infiltrações, etc;
  4. Transição defensiva: quando a equipe perde a posse da bola, inicia-se uma tentativa de recuperar ela ao mesmo tempo em que se organiza defensivamente. A intenção é não precisar voltar ao momento de organização defensiva, seja com o famoso pressing (perde e pressiona), fechando as linhas de passe ou adiantando a defesa. Ou seja, mais uma vez dependerá do que foi trabalhado no Modelo de jogo;
  5. Bolas paradas Defensivas: como a equipe se comportará em um escanteio adversário por exemplo. Fará uma marcação em linha ou individual?;
  6. Bolas paradas Ofensivas: a mesma coisa serve para as bolas paradas ofensivas. O Modelo de Jogo define como os jogadores se portarão e ainda pode trabalhar jogadas ensaiadas.

O Modelo de Jogo

Modelo de Jogo.

Matérias Relacionadas:

Treinando esses momentos do jogo, cabe ao técnico unificar todas essas fases tornando-as um ciclo. É preciso trabalhar a tomada de decisão e a consciência tática da equipe, a partir das ideias de jogo. Como citado anteriormente, o comportamento da equipe depende do que foi treinado no Modelo de Jogo. Para isso, o técnico precisa observar os momentos do jogo e criar soluções para cada um deles até formar um padrão único. Todavia, vale ressaltar que pode haver variabilidades.

Diferente do que o significado de “modelo” propõe, o Modelo de Jogo de um clube deve estar sempre em construção, buscando uma evolução constante sem tornar-se monótono. É sempre importante destacar isso, porque tudo depende do material humano que se tem a disposição. Por mais que um treinador goste de atuar de uma certa forma, o elenco a disposição pode precisar que o treinador se adapte para as características individuais de cada atleta.

Portanto, tudo isso é construído a partir de muito treino, o que infelizmente é difícil com o calendário do futebol brasileiro. Mas é por isso que, para ajudar o trabalho dos treinadores, surge a Periodização Tática (entenda o conceito na próxima matéria da semana), que trabalha com o Modelo de Jogo, a partir das condições máximas de rendimento. A ideia é criar treinos com repetições que gerem um hábito nas ideias do treinador. Por isso, muitas vezes, ao começarem a temporada com mais tempo de treino, os times pequenos acabam levando certa vantagem contra os grandes. Não é questão de zebra, e sim de desenvolvimento de um trabalho.

Daniel Dutra

Jornalista em formação e apaixonado por esportes. Juntei essas duas paixões para produzir conteúdo e valorizar a comunicação criando um portal para levar informação e gerar oportunidades.
Ler todas as publicações de Daniel Dutra
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

2 Comentários
Most Voted
Newest Oldest
Inline Feedbacks
View all comments