Recorde de empates. Crédito: Vitor Silva/Botafogo
Futebol, Futebol Nacional

Recorde de empates: fator torcida altera influência do fator casa no brasileirão

Daniel Dutra
Siga-me

O Campeonato Brasileiro de 2020 registrou recorde de empates na história dos pontos corridos. Entre os motivos, a falta de torcida nos estádios, que equilibrou os jogos dos mandantes. Antes mesmo da volta do futebol, essa questão já era levantada por clubes europeus.


Quando a discussão pela volta do futebol durante a pandemia evoluiu, alguns clubes tomaram cuidados importantes. Conhecido por ter uma torcida que faz a diferença, o Borussia Dortmund contratou um psicólogo para os atletas encararem os estádios vazios. Como alertou Lucien Favre, técnico da equipe, isso é uma questão mental.

“Na atual situação é ainda mais necessário. Nós treinamos durante dois meses e vamos jogar sem espectadores. Ainda mais nós, que estávamos habituados a jogar com 80 mil torcedores nas arquibancadas. Vai ser muito diferente. É uma questão mental. Fazer um chute a gol, um passe e ninguém reage. É preciso estar preparado para tudo isso.” – disse o treinador.

Resultados da Bundesliga:
  • Pré-Pandemia: 42,9% mandantes, 21,7% empates, 35,4% visitantes;
  • Pós-Pandemia: 24,6% mandantes, 28,1% empates, 47,4% visitantes.

De fato, Lucien Frave estava certo. E os resultados comprovam. Sendo um dos únicos clubes que fizeram isso, o Borussia Dortmund teve o melhor aproveitamento em casa no retorno da Bundesliga. Ou seja, como o futebol europeu voltou antes do brasileiro, tivemos indícios do que encararíamos e exemplos do que fazer. Contudo, a realidade do campeonato brasileiro só reforça a tese dos especialistas e do Borussia Dortmund.

Recorde de empates no campeonato brasileiro

Recorde de empates no Brasileirão. Foto: Editoria de arte do O Globo
Percentual de empates nos pontos corridos Foto: Editoria de arte do O Globo

Como mostra o percentual acima, não foi preciso disputar sequer metade do campeonato para bater o recorde de dez anos atrás. Certamente, essa porcentagem crescerá mais. E se depender de clubes como Botafogo, Grêmio e Palmeiras, não vai demorar muito. O alvinegro carioca por exemplo, soma incríveis nove empates em treze jogos. Atualmente na zona do rebaixamento, o clube é um espelho dessa situação. Dessa forma, ele já superou a quantidade de empates da temporada anterior. Como o fator torcida não é mais um diferencial, a disputa na parte de baixo da tabela também é a mais equilibrada da história. Nessa altura do campeonato, sempre tinha algum time fadado ao rebaixamento. Entretanto, não é o que acontece nessa temporada.

Na 12º rodada, outro recorde: seis empates em dez jogos da rodada. Entre todas as equipes do campeonato, apenas o líder Atlético Mineiro não perdeu jogando em casa e nem empatou nenhum jogo. A quantidade de empates no campeonato, automaticamente diminui a quantidade de vitórias. Dessa forma, a média de pontos para se salvar do rebaixamento ou se classificar para competições internacionais, será menor do que o habitual. Para ter essa noção, basta ver como os empates não são os maiores influenciadores das colocações. O citado Palmeiras está no topo da tabela mesmo empatando a maioria dos jogos. Já o Botafogo, que também empata a grande maioria, está na zona do rebaixamento. O campeonato está extremamente equilibrado, e os empates não resumem a tabela.

Portanto, quando o empate se torna maioria, os outros resultados é que farão diferença. Enquanto o Palmeiras está invicto, o Botafogo perdeu três jogos. Na 12ª rodada, o Botafogo já bateu o recorde de empates da história dos pontos corridos. E as estatísticas mostram que, de costume, quem empata mais, acaba no meio da tabela. Por enquanto, não é o que acontece. Mas vale frisar novamente: é um dos campeonatos mais disputados da história, e não há ninguém fadado a qualquer colocação até agora.

A torcida faz falta

Diminui o interesse dos jovens pelo futebol. Crédito: André Durão
Crédito: André Durão

A menor média de vitórias em casa tem seus motivos. Segundo jogadores e técnicos, a falta da torcida realmente muda tudo. Tanto apoio quanto pressão. O jogo fica mais gelado, mais estudado e até previsível. Quem sai fora dessa curva, é justamente o Atlético-MG, que impõe intensidade os noventa minutos. O Flamengo saiu de 2019 com recorde de aproveitamento em casa (93%), sem perder. Esse ano, venceu apenas dois jogos em casa.

As caixas de som não substituem a torcida. Portanto, vivemos um campeonato diferente. Ainda assim, vale a pena acompanhar. É até possível que na reta final, haja torcida e possamos traçar novas estatísticas. Todavia, é muito cedo para essa realidade, que tem causado atritos na confederação. Enquanto isso, veremos um dos campeonatos mais disputados da história. Seja na parte de cima ou de baixo. Enfim, a falta da torcida é um dos fatores para o recorde de empates. Dessa forma, as torcidas usarão por muito mais tempo o meme: “Deu a lógica, empatamos!”.

Daniel Dutra

Jornalista em formação e apaixonado por esportes. Juntei essas duas paixões para produzir conteúdo e valorizar a comunicação criando um portal para levar informação e gerar oportunidades.
Ler todas as publicações de Daniel Dutra
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments