Pacotão de reforços do Botafogo. Crédito Vitor Silva/Botafogo
Futebol, Futebol Nacional

Pacotão de reforços: Botafogo surpreende no período da pandemia e reforça a equipe titular

Conforme as contratações vão se materializando, o Botafogo reforça a equipe titular para a sequência da temporada. Foram contratações pontuais e extremamente necessárias, ainda que algumas dificuldades possam continuar. Todavia, o pacotão de reforços do Botafogo será bem importante para o clube, que acertou na maioria das contratações.


Mesmo com problemas de atrasos salarias, o Botafogo vem se aventurando pelo mercado de transferências. Contudo, dentro da realidade do clube. Entre chegadas e saídas, as principais mudanças foram na equipe titular. Mesmo “perdendo” o capitão da equipe, o alvinegro supriu a falta dele e ainda reforçou outras posições.

Entre as baixas estão: Carli (contrato rescindido), Igor Cássio (negociado com o Porto) e Leandrinho (saiu do clube pela justiça). Além deles, é possível que o equatoriano Cortez possa ser a próxima baixa depois de fazer uma live bêbado elogiando o rival Flamengo. Todavia, o pacote de reforços consegue substituir tanto essas perdas, como outras posições. Entre os reforços estão: Kalou (Hertha Berlim), Rafael Forster (Ludogorets), Victor Luis (Palmeiras), Kevin (Goiás) e Matheus Babi (Macaé).

Matérias relacionadas:

Onde entram as novas contratações?

Atualmente, o Botafogo joga em 4-2-3-1 com um pouco de alternância para o 4-3-3. Por motivos já discutidos em nosso site (clique aqui para ler), Honda acabou se tornando volante na equipe alvinegra. Dessa forma, tanto ele quanto Bruno Nazário, não precisam se deslocar para os lados perdendo força na armação, que é a principal característica de ambos.

Escalação Botafogo com o novo pacotão de reforços.
Esboço do time para o Campeonato Brasileiro de acordo com a formação tática atual.

Os principais problemas que a equipe encontrou no retorno do futebol, foram justamente pelos lados. Mesmo com Luiz Fernando fazendo bons jogos pela direita, ele acabava jogando por ele, e por Barandeguy, que deixava espaços e não conseguia apoiar coordenadamente. A mesma coisa vale para  o lado esquerdo, que quando Guilherme Santos atuava na lateral, deixava o jovem Luis Henrique sobrecarregado. Algo que já era diferente com Danilo Barcelos, mas que agora, com o reforço de Victor Luis, resolverá o problema.

Voltando para o lado direito, tanto Barrandeguy quanto Luiz Fernando, devem sair da equipe titular. Na lateral, o clube conta com a volta de Marcinho, recuperado de lesão. No ataque, o grande reforço de Kalou, que chega para ser um dos destaques do elenco. A tendência é que esse lado seja um pouco mais ofensivo, tanto com Marcinho quanto com Kalou. Ambos são jogadores ofensivos e, quando o lateral sair para o jogo, o Botafogo pode contar com a cobertura de Marcelo Benevenuto, um dos zagueiros mais rápidos do país. Além disso, como citado na matéria sobre o Kalou (clique aqui para ler), mesmo aos 34 anos, o marfinense ajudava na marcação na Bundesliga, uma das ligas mais fortes fisicamente do mundo.

Equilíbrio

Trabalhando bem os princípios estruturais dessa equipe, fica ainda mais fácil domesticar essa ofensividade do lado direito. Isso porque, pelo lado esquerdo, Victor Luis é um lateral mais defensivo. Portanto, Luis Henrique terá mais liberdade pela esquerda, e Marcinho pode se aventurar um pouco mais pelo lado direito. Inclusive, a contratação de Rafael Forster, pode ser fundamental para a saída de bola da equipe. Entre as características do zagueiro, estão os lançamentos e passes que quebram linhas. Forster pode ser para o Botafogo, o que gostariam que Cícero fosse como zagueiro. Com uma boa visão de jogo vindo de trás, veremos muitas vezes, lançamentos precisos acionando Kalou e Luis Henrique.

Requer atenção

Entretanto, ainda é cedo para fazer prognósticos. É preciso ver essa equipe atuando junta. Mesmo com características bem definidas de cada jogador, algumas questões precisam ser levadas em consideração. Como vimos no vídeo acima, por mais que Rafael Forster seja um zagueiro técnico e com boa visão de jogo (por também já ter atuado como lateral-esquerdo), ele não traz tanta segurança para a defesa. No um contra um, não é tanto efetivo, e é um jogador que comete muitas faltas. Portanto, corre o risco do jovem Kanu recuperar a posição de titular e as questões organizacionais da equipe, citadas acima, não acontecerem.

Outro ponto importante, é a falta de um volante. Mesmo com Caio Alexandre e Honda tendo bons desempenhos nos jogos, falta alguém para gerar competitividade no meio campo. Ainda se fala muito na contratação de Obi Mikel, que com certeza resolveria esse problema. Com a chegada de Kalou, as negociações voltaram, pois Obi é o melhor amigo de Kalou no futebol. Contudo, o Botafogo não precisa necessariamente do marfinense, ainda que seria o melhor para o time. A questão é que Caio Alexandre ainda é muito jovem, e vem tendo desempenhos abaixo ao de Honda como volante. Para o brasileirão, isso pode ser ruim, pois é um campeonato desgastante e que pode queimar o atleta. Além do mais, é preciso ter reservas a altura. Atualmente, o clube conta com Cícero, que deve sair, e Luiz Otávio, que pouco é aproveitado.

A chegada de um volante mais marcador, permitiria com mais facilidade, uma mudança tática. Seria possível formar uma linha com Honda e Nazário lado a lado, em um 4-1-4-1. Todavia, depende tanto da contratação de um volante, quanto do que Paulo Autuori pretende fazer.

O pacotão de reforços completo

Além desses reforços que chegam para serem titulares, Kevin e Matheus Babi chegam para disputar posição. A princípio, Babi terá mais dificuldades, pois Pedro Raul, centroavante titular, vive ótima fase. Já o Kevin, é tão indefinido quanto os outros 3 laterais direitos que o Botafogo possuiu no elenco. Entretanto, a tendência é que até o ano que vem, Fernando e/ou até Marcinho possam deixar o clube.

Uma nova filosofia no Botafogo

Por mais que tenha contratado em grande escala, o Botafogo na verdade, fez apenas reforços pontuais. Das 5 contratações, 3 chegam para serem titulares. Aliás, isso foi uma cobrança de Paulo Autuori, que estava insatisfeito com a filosofia anterior do clube. No início do ano, o Botafogo fez diversas contratações que pouco serão aproveitadas agora e algumas que como citado, já estão saindo do clube. Depois do caso de Gabriel Cortez, Autuori disse para a diretoria que não aceitaria mais contratações baratas do futebol sul-americano.

De fato, essas contratações pontuais serão muito mais importantes do que as contratações que serviram apenas para encher o elenco. Com a chegada de Victor Luis, é possível que Guilherme Santos também seja negociado. Além disso, o fato de contratações como Honda e Kalou serem mais baratas que Rodrigo Pimpão e Diego Souza em 2019, já mostra uma tremenda evolução no aspecto de negociação do clube.

Portanto, é normal que o torcedor botafoguense crie expectativas, ainda que o time não seja um dos melhores do país. Para o campeonato brasileiro, o primeiro objetivo descrito por Autuori é não correr riscos, ficando no meio da tabela. Caso seja possível lutar por uma vaga na libertadores, que até nove equipes conseguem, vale o esforço. Mas acima de tudo, com os pés no chão focando na primeira meta.

Daniel Dutra

Jornalista e fundador da PressFut. Também atua no SBT e na Rádio Tupi.
Ler todas as publicações de Daniel Dutra
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments